sábado, 3 de dezembro de 2011

"AZNAR, BUSH E BLAIR"

Quando eu era jovem, as massas industriaram-me na poesia
                                                                         [popular:
SOARES LADRÃO / ROUBA O PÃO
Alertavam-me as paredes
Com a força das convicções
E dos erros ortográficos.

Por vezes os versos eram brancos
Embora vermelhos
Por vezes eram brancos.

Assim o muro da recta do dafundo:
SOARES LADRÃO AMDA A ROUBAR O DINHEIRO DO POVO GATUNO
                                                              [VAI PARA A RUA JÁ!
Podíamos ler nos idos de 70
E até algum 80.

Ainda hoje a poesia popular me persegue.

3-VII-2003
*palavra-de-ordem na manifestação contra a guerra no Iraque:
"aznar,bush & blair / esta guerra ninguém quer!"

2 comentários:

Nina Rizzi disse...

nossa, maravilhoso! :)

Ricardo António Alves disse...

Obrigado, Nina, ainda bem que gostou!)